quinta-feira, 19 de abril de 2012

Não sei se estou enganada, mas isto foi algo que me veio à cabeça, talvez porque de repente a minha memória divagou enquanto trabalhava...

Já vivi sozinha algumas vezes. Umas vezes mais sozinha, outras com alguém e outras mesmo vivendo com alguém vivi sozinha.
Não sei porquê que a minha memória me prega estas partidas... Não tinha de me lembrar disto, mas lembrei-me.

Quando saímos de casa para ir estudar, a sensação é uma. Quando saímos de casa para ir viver sozinhas, a sensação é outra. Quando saímos de casa porque alguém se virou para nós e disse: "Queres viver comigo?" a sensação é algo que passa por todos os cantos do nosso corpo.
Quando se vai viver com alguém o normal é, nós, mulheres, ficarmos responsáveis por quase tudo em casa. Ou mesmo que não se fique "responsável" nós pensamos sempre que não podemos falhar em nada e caso haja algum esquecimento da outra parte estamos lá nós "que nunca nos esquecemos de nada"...
Das piores sensações que tive foi viver acompanhada mas sozinha. Precisar de colo muitas vezes e não ter. Em casa estarem duas pessoas e só sentir a minha presença. Sentia que a partir dali tudo aquilo ia ser para sempre e já não ia ter o conforto da casa dos pais. Estava entregue a mim mesma e supostamente à pessoa que vivia comigo. Que mais tarde seria eu a confortar alguém... Achava que já não era possível não sentir algum vazio que sentia, e que talvez fosse normal...

Muitas vezes senti-me melhor sozinha que acompanhada! E gostava...
Hoje sei que primeiro tenho de gostar de mim para gostar de alguém.

E não. Nenhum vazio é normal. Tudo na nossa vida tem de nos preencher.

Desabafo!

3 comentários:

Margarida disse...

Este teu texto diz-me tanto!
Talvez porque pela primeira vez na vida, saí de casa para estudar e consequentemente estou a viver sozinha. E tal como tudo, viver sozinha numa nova cidade têm os seus lados bons e maus...

Mas antes desta experiência de viver sozinha, já experimentei por momentos a felicidade que acompanha o pedido "Queres viver comigo?". Por sorte ou azar, nunca cheguei a experimentar esta sensação mais do que uma ou duas semanas seguidas em espaços de tempo muito desfasados...

Viver só, ou melhor, na solidão, não têm nada a ver com estar acompanhada ou sozinha, têm a ver com o estado da nossa alma...

Por agora, vou vivendo sozinha e por vezes só...

Joana disse...

Haja alguém que se indentifique.
Tudo isto passou na minha cabeça numa fracção de segundos.

E é tão verdade. Tive de partilhar.
Há coisas que não acontecem por acaso, e o facto de um dia ter sentido isto na minha vida veio ensinar-me muita coisa.

Uma das coisas é que não posso sentir-me só quando estou acompanhada.

:)

Moleskine disse...

também eu vivi a experiencia de viver acompanhada, mas só. tremendamente só. e tb eu achei que era normal... mais tarde... só mais tarde 8com o distanciamente que é necessário) é que me apercerbi que não era normal! nada
bjos