quinta-feira, 31 de dezembro de 2015

[Page 365 of 365]

Colocar amor em tudo o que fazemos. 
Desejar o bem para receber o bem. A vida retribui!

Grata pelo ano 2015.
Feliz 2016! 😃🎉
[Page 365 of 365]

quarta-feira, 23 de dezembro de 2015

Eu e isto.

Mais um ano. E eu estou nisto.
Não gosto definitivamente desta altura do ano. 


segunda-feira, 7 de dezembro de 2015

"Não deixes de utilizar as tuas asas. Elas precisam de exercício!"

Há vezes que não damos o passo em frente porque achamos que não vai dar certo. Ou porque temos falta de coragem, ou por falta de confiança. Tem vezes que nem pensamos muito no assunto para não nos moer a cabeça com algo que sabemos à partida que não vamos ser capazes.
O ter alguém por perto que nos faça ver para além da nossa zona de conforto tem o seu lado positivo. É o empurrão que todos precisamos. 
Agradeço todos os dias a família que tenho, as amizades que tenho e o namorado que tenho. 

Engraçado que também precisei de um grande empurrão para me jogar de cabeça para o inicio do nosso namoro, é certo que nem tudo foram rosas - e tão calculista que fui - mas também é certo que aqui, o empurrão fui eu. Acho que o amor falou mais alto que qualquer outra coisa, qualquer medo, qualquer dúvida, qualquer factor externo à nossa relação. E ainda bem. És o amor que não tinha, a paz que precisava, o conforto de todos os dias e o empurrão que me faltava.

Agradeço por ter por perto pessoas que me querem ver bem e feliz. Agradeço ao Universo toda esta minha evolução e que é tão minha. 

Vou agradecer sempre tudo, porque com gratidão e amor é que se consegue as coisas verdadeiras.

quinta-feira, 3 de dezembro de 2015

Avô...

11 anos se passaram, e fazias anos hoje.
Por força do Universo, este quis que fosses tu o meu anjo da guarda. 
Na vida partilhada comigo, eras um homem muito calado e fechado, não conseguias demonstrar carinho pelas pessoas mas ao mesmo tempo conseguias mostrar de quem gostavas e de quem não gostavas. Ao pensar em ti e no teu mundo tão fechado, dá-me saudades da tua maneira de ser, e hoje tenho a certeza que ainda brincaria mais contigo. Usaria mais mil vezes um funil para que me ouvisses bem e tu ririas com aquele ar meio envergonhado.
Sei que foi na tua hora que partiste e feliz de mim por ter ainda partilhado de alguns momentos contigo. Sei que éramos umas netas queridas para ti. Sei que o meu pai era tudo para ti! E somos. E é.

Quis também o Universo que ao longo destes 11 anos eu tivesse diferentes rumos e que chegasse a este ponto em que aceitei outras dimensões. Quis o Universo, que me mantivesse ligada a ti. 

Avô, a ti que nos proteges, um beijo e um abracinho. Obrigada e Parabéns!

quarta-feira, 2 de dezembro de 2015

Eu avisei.

Eis que chega o mês de Dezembro.
Com ele chega a minha melancolia, nostalgia, e sem dúvida o meu cérebro fica todo trocadinho. 
Entre presentes para oferecer e vontade infinita que o Natal fosse só e simplesmente o acto de estar em família - com a minha família - entre os projectos e objectivos que me vão passando pela cabeça... Entre tudo o que quero resolver no inicio de 2016 e o facto de ter que mudar de casa.

Bem, mas seja o que for. Tem de ser.

segunda-feira, 30 de novembro de 2015

Já?

E pensar que amanhã entramos no mês de Dezembro.
E não ter, ainda, entrado no espírito Natalício...

[Aquela fase retrospectiva]

De Novo.

Não sei se há coisa "pior" que uma mulher apaixonada.
A verdade é que nunca fui daquelas raparigas muito "rócócós" nas relações. Tenho a fama de ser mais fria que meiga. (Já dizia a minha mãezinha na sua ânsia desesperada de receber beijos meus)

Mas, embora fria, tenho sentimentos como as "pessoas normais" e é verdade que me entrego por completo.
Esta minha relação tem um sabor diferente, não sei explicar o porquê.  (talvez saiba, mas não vou por ai). Dou por mim neste estado. De amor sincero, de paixão pura. 

A verdade é que não é fácil manter-me satisfeita, e uma pessoa que consiga acompanhar todos os meus estados de espírito... é sem duvida de louvar e no mínimo só poderia estar perdidamente apaixonada!


sábado, 28 de novembro de 2015

Já é tarde.

O que me haveria de dar a esta hora. 
[Conto contigo blog]

Ser mulher também é isto, estar sozinha e ter muito em que pensar (ou nada). É saber que escrever seria a solução para que os olhos finalmente começassem a fechar, e o cérebro deixasse de merdas e fizesse com que o meu corpo aterrasse na cama.
É ter certezas absolutas numa hora e noutra as mesmas certezas já eram... 
É viver iludida com vontades e desejos que só a nós nos passa pela cabeça. E se não exteriorizamos, como pode alguém saber dos mesmos? [Acho que o que todas as mulheres queriam em certas alturas é que nos lessem os pensamentos... E não teriam os homens a vida facilitada?] 
Ai ser mulher... 
 
Estas noites assim, conseguem levar-me ao mais alto patamar da imaginação - os famosos: "macaquinhos na cabeça"! (gostava eu que este tipo de imaginação me dê-se dinheiro... Opah! A esta hora estava milionária!). 
Pior é sentir que devia era estar quieta, e saber que o meu mal... é sono!

sexta-feira, 27 de novembro de 2015

Tão eu. Ou tento.

"Vive de tal forma que deixes pegadas luminosas no caminho percorrido, como estrelas apontando o rumo da felicidade e não deixes ninguém afastar-se de ti sem que leve um traço de bondade, ou um sinal de paz da tua vida."

quinta-feira, 26 de novembro de 2015

Discordo.

Deixei de concordar com a expressão que muito se utiliza "as desculpas não se pedem, evitam-se!"
Comecei até, a achar a expressão mais "fria" de sempre.
Toda a gente já falhou na vida, e toda a gente já se arrependeu de alguma coisa. Toda a gente já pediu "desculpa" por ter falhado e toda a gente ao pedir desculpa tem a mínima esperança de serem aceites.

Antes de dizerem isto a alguém, as pessoas deviam pensar que podem ser elas a querer que lhes desculpem. E ai vai doer.

Saber perdoar não é para todos, mas não é difícil!

terça-feira, 24 de novembro de 2015

Quando existe amor.

Há sensivelmente quatro anos, que penso escrever sobre este casal.
Talvez só agora me sinta capaz de escrever acerca deles... é talvez a única história que conheço de perto que transborda força, positivismo, vontade e sobretudo (sobretudo) amor.

Conheci-os há precisamente quatro anos.
Cheguei ao jantar de Natal de 2011 - do qual não fazia parte até essa data - e fui apresentada.

Já me tinham falado deles. Já me tinham contado por alto a situação dele:

- o A. teve um acidente de carro e ficou tetraplégico. E é casado com a M. Tens de os conhecer! São demais! - Diziam-me.
(nunca pensei muito no termo "são demais!", mas agora que escrevo, faz todo o sentido).

Bem na realidade quando me disseram que o A. era tetraplégico, e que iria conhecer, fiquei... não sei que palavra usar para descrever... talvez, ansiosa? Nunca tinha estado com alguém tão de perto nessa situação e estava ao mesmo tempo curiosa. Curiosa por mim. (o "problema" reside aqui - falta de consciência por parte das pessoas, e neste caso, também eu tinha esta falta de consciência)

Quando os conheci nem queria acreditar.
What? Um tetraplégico que ri, sorri, diz piadas e ainda goza com o próprio estado dele? Não, isto não pode ser verdade! 
Com o tempo, e com a convivência, fui tirando de ideia que algo podia ser uma capa. Tanto do A. como da M., fui percebendo que eles são isto. 
Não há encontro que não seja a rir, não há dia que estejamos juntos que não brinque, que não "parveje", que não faça tudo o que todos nós que conseguimos andar, correr, mexer os braços, as mãos, não façamos. "Faz mais quem quer do que quem pode" - e neste caso aplica-se. 

Com o tempo apercebi-me também que a M. é uma mulher com M. grande. E que só um grande amor, pode fazer o que os meus olhos têm visto durante estes quatro anos que os conheço. 
É namorada, é mulher, casou com ele. É ela que faz a higiene, que o "carrega" quando é preciso. É ela que dá tudo o que pode dar. E sempre com um sorriso nos lábios.

Eu sei, que na vida deles, tirando o facto de terem de sorrir para o mundo, existem dias menos bons. Claro que existem, não é fácil, até porque o A. tem fases em que leva dias de cama, em que aparecem as escaras, que o animo não é o mesmo como é óbvio. Dias em que a M., para além de tudo o que já faz em dias normais ainda tem uma preocupação maior. E podem-se tornar dias desesperantes - e eu que nem imagino como possam ser estes dias.

Melhor, trabalham os dois. Sim trabalham!

E agora? Ter coragem para falar de problemas? De chatices? Sim, todos temos problemas, todos temos dias menos bons. Será que não elevamos os nossos problemas ao ... cubo?

O mais lindo aconteceu este ano: o nascimento do filhote.
Quando recebo a noticia que um bebé está para chegar, é sempre com uma grande alegria mas quando foram eles a dizer... o meu coração disparou, a alegria foi a triplicar, a emoção igualmente, as lágrimas caíram-me. Foi realmente uma grande noticia e fiquei mesmo, mesmo e sinceramente, feliz por eles! O M. veio ao mundo, é lindo e acho que era o que estava a faltar,  serem pais para se sentirem completos! (mais uma vitória!)

Merecem. Merecem e não digo isto por "pena" - nunca os olhei com esse sentimento- nem digo isto só pelo facto do A. ser tetraplégico. Digo porque se há pessoas que gostam de viver e serem felizes são eles. E se há pessoas que dão valor a TUDO da vida são eles. Dão importância, ao que nós pessoas sem noção do que é realmente ter um problema, não damos.
No fundo não nos culpo. Não temos culpa de não ter consciência do que é viver numa situação destas, quais as necessidades, o que podem ainda fazer, como agir com estas pessoas. Não temos culpa de não fazer ideia.

E por isto, é de louvar a capacidade de "encaixe" da M. e do A.
Cada um à sua maneira, cada um na sua perspectiva, cada um com as suas dores, mágoas, tristezas, alegrias... cada um com dias diferentes, com altos e baixos. Mas os dois envolvidos de um grande, mas grande amor.

Tudo o que escrevi até aqui, é de facto o lado de cá. O meu "lado de cá".
Não tendo eu, consultado nenhum dos dois para saber se tais sentimentos batiam certo. Não sabendo das suas vidas no seu intimo. Mas sabendo das suas vidas quando me abrem a porta e me recebem lá em casa. Sabendo que passei pelo medo do "ai o que faço agora" quando o A. me pedia ajuda para alguma coisa... nem que fosse levar-lhe o copo à boca.
Sabendo do grande Homem que ele é por nunca ter desistido de viver, de ser a pessoa que é, do grande amigo que se tornou, e do sorriso que tem e esboça para a vida!
Sabendo também que não era qualquer mulher que faria o que a M. faz. Não por ser um sacrifico atenção!! Só porque isto é amar a sério.

Gostava de escrever um pouco mais acerca do A. mas não me sinto no direito de supor seja o que for que lhe possa passar pela cabeça. Limito-me a escrever sobre o que vejo e minimamente sobre o que transmite, o que lhe vai na cabeça e sentimentos que possa ter, dores, angustias e até felicidades, cabe só a ele, um dia contar(-me).

A vocês amigos, (que poderiam escrever um livro com a vossa linda história - que é muito mais que isto): tudo de bom é pouco!
Gosto de vocês e serão sempre um grande exemplo.

segunda-feira, 23 de novembro de 2015

Coisas que permanecem.

Quando dou por mim a pensar nele. 
Há dias que só ele me vem à cabeça. Como se tivesse no inicio de um namoro de adolescente. Como se não vivêssemos juntos e a cada encontro as borboletas quase viesse em modo turbo até à boca.

Lembro-me que era assim quando namorávamos e cada um vivia na sua casa. A ansiedade de estar, de tocar, de cheirar... 
E hoje, é igual.
Saio de casa com vontade de ficar, de o abraçar mais, de o beijar ainda mais, e de o cheirar para sempre!

Que o nosso para sempre, seja como tem sido até aqui: "por muito tempo", porque muito tempo, é o tempo suficiente. 

Adoro-te.

Inspiração

Preciso de alguma inspiração.
Quero ideias a surgir na minha cabeça e ultimamente... nada!

Inspiração se faz favor!

sexta-feira, 20 de novembro de 2015

A ti, amiga.

Amiga,

Escrevo para poder deitar cá para fora a minha preocupação. 
Quando recebi a noticia, fiquei em choque. Talvez e felizmente soube em cima do acontecimento que iria ser a tua operação. Nunca estamos livres de qualquer problema, é certo, mas quando toca aos próximos mexe cá dentro. 
Tudo correu bem e a tua força e energia positiva contribui muito para isso. 
Fui ver-te, senti mesmo que tinha que ir.

Sabes, há momentos pelos quais passamos, os anos que já nos conhecemos, que fazem com que não me esqueça que és como família. A distância - mínima - que bos separa, tornasse ridícula ao ponto de por vezes não me perdoar por estarmos tão poucas vezes juntas, mas a vida é isto. Os destinos são mesmo assim, separam fisicamente as pessoas que nos são queridas e a velocidade do tempo não nos permite fazer tudo o que gostaríamos.
Hoje tive a certeza que estaremos sempre cá uma para a outra e que qualquer coisa menos boa que a nossa amizade tenha atravessado, foi esquecida. Deixou de existir nas nossas memórias! Hoje somos isto: Amigas.


Fiquei aliviada ao ver a tua força e positivismo. Sei que vais ficar bem. O caminho ainda pode ser longo - mais do que querias - mas no fim tudo vai valer a pena. 
Fiquei feliz ao ver-te. Ainda bem que fui, ainda bem que hoje posso sentir-me aliviada por continuarmos a manter o contacto. 
A vida é mesmo isto, um vai vem de acontecimentos, de pessoas que entram e saíem das nossas vidas, e as que permanecem. E se permanecem é por algum motivo.

Adoro o abraço da tua filha ao ver-me. Sempre foi um abracinho sincero, de quem ouve falar de mim para que não seja esquecida. Uma princesa linda cheia de amor para dar. Tudo porque és uma mãe exemplar.

Feliz por estares a recuperar bem e ainda mais feliz por saber que vais ficar bem. 
A vida desafia os mais fortes.

Aqui.

Aqui, onde regressamos sempre que é possível. 
Onde renovamos energias, onde nos deixamos levar ao sabor do vento. Onde não olhamos ao relógio, onde saboreamos todos os minutos.
Aqui, onde os olhares bastam para transmitir que é disto que precisamos para ser felizes. 
Aqui. Hoje, amanhã e depois...


Aqui e contigo.

quarta-feira, 18 de novembro de 2015

De saber.

Se eu (d)escrevesse tudo o que me fazes sentir...

Borboletas. Muitas borboletas!

terça-feira, 17 de novembro de 2015

#cadamalucocomasuapancada

Quando digo que estou surpreendida comigo, estou mesmo.
Nunca pensei chegar até aqui. E com gosto.

Ontem foi corrida com BF e sogro (sou louca de ir correr com eles...), fizemos 6.55 km.

As subidas matam-me. Mas só assim terei alguma evolução.


segunda-feira, 16 de novembro de 2015

16 Novembro.

Leonardo,
 
Vou deixar de assinalar esta data como um dia triste.
Vou passar a recordar-te como tem sido até aqui - e tantas vezes que "me apareces à frente" - e vou sorrir ao faze-lo.
Vou deixar de sentir aquele aperto, aquela sensação de ter ficado muita coisa por dizer.
 
Hoje sei, que foi a tua hora, sei que aceitar é o melhor que tínhamos a fazer.
Sei que estejas tu onde estiveres, estás a ser o anjinho da guarda de muitos.
 
Acredita que penso muitas vezes em ti. Muitas situações que me fazem dizer o teu nome.
 
Sabes, a malta separou-se toda. É normal, mas no que toca aos mais próximos não conseguimos quebrar o elo. não conseguimos deixar de estar juntos. E muitas das vezes que estamos juntos, vem o teu nome. vem uma vivencia contigo.
 
Sei que foi na tua hora, as perguntas já lá vão há muito. Já não faz sentido sequer questionar.
Não consigo controlar as lágrimas ao falar disto, mas não é com angustia ou a tristeza profunda que tinha por não ter resposta à pergunta "Porquê?", caiem-me as lágrimas de saudade.
 
E saudade, esta perdura para sempre. Serás recordado para sempre. E em muitos dias da minha vida faço questão de falar de ti como um grande amigo que tive. E mencionar a grande pessoa que eras!
 
Oito anos se passaram...
Olha por nós.

“Deitar tarde e cedo erguer…”

... Não dá nada de positivo, desculpem, lá!

Não consigo adormecer antes da meia-noite, o que se torna problemático quando o despertador vai tocar antes das 07:00 da manhã... 06:30/06:45, aos anos que não acordava a esta hora!
(Gosto tanto de dormir!)

Vá, a razão é boa: aulas de condução!

Os dias têm estado bons, com sol e os passeios que dou perto das praias de Portimão também faz valer a pena e esquecer a dor de levantar cedo. Também não é nada que o café não resolva e uma corrida ao final do dia não me faça cair para o lado em menos nada!

E por falar em corridas... a última foi de 8 km, hoje quanto será que aguento?

 

domingo, 15 de novembro de 2015

Aqui e agora.

Dou por mim a olhar-te.
É verdade que temos as nossas "cenas", não podiamos concordar em todos os pontos de vista. É verdade que devia ser mais confiante (ainda mais - ou muito mais - com o tempo talvez consiga!). Mas a certeza que me passa hoje pela cabeça, é que gosto mesmo de ti. Bolas, gosto mesmo!

Dou por mim a pensar que todos dias me apaixono. Dou por mim a pensar que mereces tudo de mim, e eu dou-te!
Penso nos momentos que já temos marcados, nos que andei a recordar durante o fim de semana, nos que surgem na minha cabeça e me fazem sorrir... E gosto!
Não sei se algum dia vou perder a sensação de "borboletas na barriga" que me dás, mas até hoje não a perdi.
Olho-te com vontade de te ter, com amor. Olho-te com paixão. Olho-te porque te amo!!

sexta-feira, 13 de novembro de 2015

#cadamalucocomasuapancada

Bem, voltei às corridas. Já tinha dito?

Voltei e voltei, desta vez, com satisfação. (isto digo eu agora que ainda não passou nem um mês que voltei!).
Antes de ter parado, por motivos de força maior, quando chegavam os dias da corrida não tinha mesmo vontade, havia dias que ia mesmo porque era uma obrigação que tinha imposta em mim. Porque tinha a companhia da minha amiga e nós lá dávamos força uma à outra e isso fazia com que nenhuma de nós falhasse.

Agora, também com a companhia da minha amiga e as vezes do BF, lá vou eu, com vontade.
É verdade que ando surpreendida com o que já consigo fazer. Aos olhos de muitos nada, mas para mim tudo. E isto basta-me.
Costumo dizer aos que me dizer “correr?? Nunca!!” que também eu dizia o mesmo. E agora vou com gosto.

O facto de tomarmos consciência que alguma coisa temos que fazer para nos sentirmos saudáveis, e que o fazer alguma coisa é pensar em algo que dê para fazer o ano todo e sem desculpas… o facto de detestar ginásios, e não encontrar outra solução se não a corrida… fez-me avançar. E é isto que tento transmitir às pessoas… todos conseguimos! Por muito que achemos que não. É tudo da nossa cabeça. Querer ou não querer é a questão. E tudo o que possamos dizer para além disto … são desculpas!
Por isso esta é a minha nova “pancada”! Das melhores que já tive!

8 km já os consigo fazer agora é treinar para chegar tranquilamente aos 10!

[uma coisa que achei importante no regresso às corridas, impor objectivos]

quarta-feira, 28 de outubro de 2015

Dias Nublados. Ou qualquer coisa.

Não sei explicar.
Podia explicar dizendo que são os dias nublados que me deixam assim. 
Ando carente de algo. Que não sei muito bem o quê. Vontades e desejos que dependem de outras coisas e a ansiedade de concretizar tudo e saber que tudo tem o seu tempo e há uma ordem necessária de se cumprir.

Talvez não seja nada disto e possa ser só um dia estranho. [a comida pode ter caído mal e estou estranha] 
Tenho sono e isso também não ajuda em nada. 

Também pode ter sido o facto inconsciente de ter ficado ansiosa ontem pela condução. Não me senti, mas provavelmente estava.
Tensão nas pernas que hoje doem como se tivesse feito squats.

Também podia considerar "bad feelings" mas prefiro não pensar nisso! 

[Ou qualquer coisa do género, ir às compras!?]

segunda-feira, 7 de setembro de 2015

Sete - 07/09

O sete sempre me sorriu.
Sempre gostei do numero sete e é engraçado que não existe nenhum motivo para tal. É simpatia mesmo.

O que é certo é que ao longo dos anos tenho me deparado com situações/ acontecimentos em que ... o sete está sempre lá!

Hoje dia 7 foi só mais uma mudança na minha vida. Um entrave que deixou de ser entrave, uma etapa que parecia não ter fim. ainda que vá a meio, para mim teve muita importância e estou feliz. Muito feliz!

Que todos os "setes" que me surjam, sejam positivos. Sejam mudanças boas, obstáculos ultrapassados. Que me façam feliz! 

Ao meu seveN preferido, um obrigado por todo o apoio e dedicação. a toda a confiança e ajuda. 

sexta-feira, 4 de setembro de 2015

Ali.

Ai este fim de semana!
Vou matar saudades, vou descansar o cérebro.
Vou fazer o que me apetece e um pouco do que sou obrigada.
Mas vou lá. Ao refugio. Só nós sabemos o que é, o que significa, o que inspira, o que faz milagres.
 
Ali, naquele refugio!

quarta-feira, 2 de setembro de 2015

Ora. O que é meu, fica para comigo.

Para algumas pessoas eu não mostro nem metade do que realmente sou. Não por medo, mas por não valer a pena mesmo.

William Shakespeare.

Passatempos. E eu que nunca ganho nada.

Eu ainda nem acredito que ganhei alguma coisa. O meu forte nunca foi, sem dúvida, ganhar coisas assim do nada... mas eis que participei no passatempo do blog Dias de uma Princesa e ganhei!

Eis o que vem ai:


Os cereais germinados (como a aveia e o trigo sarraceno) mantêm todas as características intactas pelo facto de não serem submetidos a altas temperaturas no processo de desidratação. os flocos de aveia germinados são isentos de glúten; potenciadores de energia e saciedade prolongadas; ricos em ferro, magnésio e potássio.
Tudo me agrada nesta aveia, mas o facto de ser isenta de glúten... ainda me agrada mais!
Estou desejosa de receber o prémio e comprovar estas delicias!

[E eu que nunca ganho nada]

Setembro

Chegou o mês da mudança.
Chegou aquela altura do ano em que tudo fica calmo menos o meu cérebro.

sexta-feira, 28 de agosto de 2015

terça-feira, 25 de agosto de 2015

Paciência

Tenho um problema.
A paciência é uma coisa que em mim se esgota rápido. Bem sei que devia melhorar também este aspecto e que provavelmente muita gente terá que ter muita paciência para mim - agradeço e por isso mesmo, por a minha ser tão pouca, sei o quanto é de louvar ter alguém ao nosso lado, amigo/a, ao ponto da mesma não se esgotar. Agradeço.
 
Mas a minha. Bem a minha tem dias. Uns maus e outros menos bons.
Considero-me uma pessoa calma e até um pouco paciente. Sou das que vai até à terceira oportunidade. Não desisto fácil da pessoa. Mas desisto. Chega a um ponto que desisto.
 
Os últimos tempos tem sido de muita calma e de autoconhecimento e cheguei à conclusão que realmente o que me faz mal é fazer o que nao me apetece, não fazer o que me apetece, conviver com pessoas que nao estejam numa de "a vida é bela" e que só consigam "vomitar" barbaridades - sem motivo.
E então, quando se chega a uma conclusão destas, acho legitimo da minha parte só fazer o que me apetece, estar com quem me apetece e dizer definitivamente: Não me aborreçam.

terça-feira, 18 de agosto de 2015

Ai quando ela de repende escreve!

Pois.
Sim, aqui venho eu. Ausente durante uns tempos e com a cabeça a mil.
Há algo que está para vir que ainda não sei bem o que é... mas!

Tenho tantas ideias e vontade que me estou a bloquear toda!
Vamos ver...

quinta-feira, 16 de abril de 2015

Posso considerar provocação?

 
 

 
Infinity Sport Store


 
O problema é: quais as mais giras?

sexta-feira, 20 de março de 2015

Eis que está a chegar a Primavera.
É só a altura do ano em que eu começo a ficar de muito melhor disposta. Com muita motivação seja pelo que for.
 
E hoje não querendo falar da Primavera em si, quero falar de um encontro que tive.
No caso da pessoa que eu encontrei pode não ter tido significado diferente sem ser o do próximo encontro e o que se costuma dizer: há tanto tempo…!!
Era para ter escrito logo no dia, mas os meus dias têm sido, no mínimo, muito ocupados! 
Encontrei uma amiga. Hoje digo amiga, porque me provou (sem nada dizer) que embora se tenha passado algum tempo e não nos continuemos a ver com tanta frequência, e mesmo que não tenhamos lidação nenhuma (nenhuma, é mesmo nenhuma!), quando nos encontramos a simpatia e carinho é precisamente o mesmo.
Gostei muito do encontro porque foi dentro de uma loja, e ficamos a conversar lá como se de um café se tratasse. Gostei de a ver porque não a via há algum tempo e porque já foi mãe. Porque continua linda de morrer e super dedicada na sua nova tarefa! Porque continua a ser muito querida para mim e porque gosto muito dela.
Gostei do encontro, porque mais uma vez se comprovou que as pessoas podem ser completamente indiferentes ou tirar qualquer partido/opinião por alguém. Simplesmente continuar igual.

Isto para mim é muito. 
Obrigada.

quinta-feira, 12 de março de 2015

Alguém me explica porquê que há dias que só apetecer uma coisa: chorar.
Acho que até um simples "olá" me faz vir as lágrimas aos olhos.
 
Não percebo.

quarta-feira, 11 de março de 2015

Wishlist I

Sim, eu continuo a saber que ainda faltam 2 meses, mas (e para que fique registado, sou fã da marca Rayban) quero acrescentar que também podem ser uns destes...




RayBan Clubmaster

terça-feira, 10 de março de 2015

Hoje é daqueles dias em que me apetece dizer tudo e ao mesmo tempo... dizer nada.
 
Acho graça, ao facto de no espaço de uma hora, ter alterações de humor como se não houvesse amanhã... no espaço de um dia.. nem vos conto!
Não são todos os dias que isto acontece, mas creio que também não é a todas as mulheres... Terei um problema?
 
Talvez, o facto de lidar com muitas pessoas no meu dia a dia, faça com que a coisa seja pior. Talvez a culpa seja das energias que vou recebendo, e das que (me) vão levando...
Não sei...
 
Sinto que sou uma pessoa durante a semana e outra ao fim de semana.
A minha tranquilidade e paz interior só a consigo ter assim que saiu do modo: trabalho.
 
Há dias assim.

domingo, 8 de março de 2015

8 de Março

Porque somos todas Super Mulheres: Feliz Dia! 


quarta-feira, 4 de março de 2015

Wishlist

Bem sei que ainda falta um bocadinho para a data do meu aniversário mas... quero tanto isto!!!
 
 
 



 
(Dos três pares pode ser só um! ihihi)

Corridas

Estive parada agora umas três semanas nas corridas.
 
O que fiz eu à minha vida?
Uma das semanas era porque chovia, outra foi porque tive de me concentrar nas férias e para ter tempo para tudo a opção foi fazer “Tabatas”. Na outra fui de férias.
Ora, três semanas parada em que uma foi de férias é sinonimo de muita comida, pouca acção. Estraguei-me toda foi o que foi! 
Ontem o regresso foi doloroso, e não, não corri 20 km nem 10… corri 5km e ia caindo para o lado.
Fiquei mesmo desiludida comigo por não conseguir mais… 
O BF ainda me tentou motivar mas fiquei triste… até que ele me disse:
A parte boa de ficares triste é que passaste a ter noção do que é o teu melhor e o teu pior. Melhoraste bastante e já te sentes mal por não fazer nada.
E pronto, de triste passei a determinada!

sexta-feira, 27 de fevereiro de 2015

Transcende-me !

Pergunto-me, se existirá muita gente que me tira do sério a 100%.
 
Não há muita gente. Acho que existe só uma pessoa que me tira do sério a 100%.
É nestas alturas que me saberia tão bem,(mas-tão-bem) mandar tal pessoa fazer algo de bom e prazeroso…  Mas não dá… Não posso. (Até ao dia!) 
 
É que por exemplo, não conheço mais ninguém que fique tão (vou começar a escrever mal, lamento) fodido por não saber da minha vida ao minuto. Não conheço mais ninguém que tenha tanto prazer em falar da vida dos outros. E quando digo outros é do género estar a contar situações de pessoas ou que nunca vi na minha vida ou que até posso saber quem é mas não me interessa saber nada de nada porque são assuntos pessoais e até fico com vergonha de ficar a saber algo que tenho a certeza que as próprias pessoas não me contariam.
 
Não conheço ninguém que me diga o que fez e com quem fez sem eu perguntar, do género “vou ali…” passado um tempo como ninguém comentou ou disse nada acerca do “vou ali” despeja com quem foi o que falou e os problemas que a outra pessoa tem…
 
Isto é normal? Isto não pode ser normal? Isto só pode ser um problema. Não que seja algo que ainda esteja por descobrir porque cusquice existe desde sempre. Mas este grau de cusquice passa dos limites e supera toda a minha paciência.
 
Acho isto mesmo uma cena fora do normal.
 

quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015

TV

Raros são os momentos que tenho a TV nos canais ditos "normais".
Normalmente, ligamos o computador à TV e vemos séries ou filmes. Hoje enquanto estou na moleza do sofá e o BF janta, a televisão está na RTP 1. 

A minha indignação é...  o programa "Quem quer ser milionário" não seria bem melhor se não fosse a Manuela Moura Guedes a apresentá-lo? 
Ou melhor, o que faz esta mulher ainda na televisão? Faz com cada observação... que me leva a pensar que está com os copos... Enfim!

Não consigo gostar da senhora. Não sei... talvez calada. Calada conseguiria suportar.

Escrever

Provavelmente irão existir mais momentos em que levo imenso tempo sem escrever uma única palavra. E outros que escrevo como se alguma coisa fizesse sentido… Umas vezes sim, outras nem por isso.
Às vezes quando me vem à cabeça a ideia de criar um blog “com regras”, só posso estar mesmo doidinha. Dai a ideia desaparecer numa fracção de segundos…
Há relativamente pouco tempo criei um novo blog, mais ou menos em conjunto com o meu namorado. E porquê mais ou menos? Já se sabe como são os Homens. Apoiam-nos incondicionalmente em algo e adoram a ideia mas no que toca a “regras” …
A única regra deste novo blog é ter de existir uma publicação mensal. (Ui é muito não é? ihihi)
O blog nasceu de uma paixão em comum com o meu namorado: Viver. Viver bem. Partilhar momentos bons da vida registando todos os momentos possíveis com fotografias.
A publicação mensal é isto mesmo, pouca escrita e fotos a partilhar os momentos do mês.
E pronto, divaguei um pouco, e tudo para dizer, que adorava ser muito mais assídua aqui no meu mais que tudo e mais antigo blog, mas nem sempre dá.
[Mas já tinha saudades!!! ]

Viagens

Comecei a viajar tarde.

Tarde, mas não tarde de mais. Não fui daquelas miúdas que começaram a viajar com os pais desde pequenas. O meu pai tem pavor de avião, e a minha mãe, com muita pena dela (e minha) deixa-se ficar para não o deixar sozinho.

[Ainda levar a minha mãe a viajar. E fazer um post disso!]
Talvez ache que comecei tarde a viajar porque a maior parte dos meus amigos sempre viajou. Sempre tiraram férias fora do País… Não que nunca me tenha apetecido mas não houve oportunidade.
Sinceramente, acho que a vida reservou-me “este momento” para começar e… estou a adorar!
Não gosto muito da parte de fazer a mala mas gosto da sensação que isso dá de “vou viajar”.
Gosto de chegar ao aeroporto e ficar ainda mais com a sensação “vou mesmo viajar”.
Gosto da companhia que tenho tido para viajar.
Gosto de sair do meu País e conhecer realidades completamente diferentes. E tão pouco que ainda conheci.
Gosto de chegar e começar a pesquisar a próxima viagem!
Qual será a próxima?  

quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015

Problemas de Expressão

Por vezes tenho uma certa dificuldade em me exprimir. (Talvez a razão pela qual tenha decidido criar este blog na altura)
Não sei, acho que não meço as palavras. 
 
Acho que por gostar que as pessoas sejam honestas, frontais e o mais sinceras que conseguirem, comigo… faço o mesmo!
 
Posso ser mesmo muito mal interpretada pela forma, às vezes, bruta que falo. Pela frieza, em alguns momentos. Pelo não carinho que dou em determinadas situações (não querendo dizer que não o sinta). Mas ao menos sou eu.
 
Não gosto de enrolar nem de meias palavras… talvez não seja a forma mais correcta de dar conselhos ou falar de certas situações… Não sei. 
 
Uma coisa tenho como certa, gosto de todos os que dou o meu ombro. A quem dou a minha palavra. Gosto mesmo.

segunda-feira, 12 de janeiro de 2015

3/100 - Ano Novo, Novos Desafios.

Ao entrar no novo ano uma amiga mostrou-me um desafio que surgiu no facebook: "Desafio correr 100 dias em 2015". Como não me pareceu muito difícil decidi aceitar!
Já andava a correr com uma amiga, mas por vezes falta aquela "motivação" e ter um objectivo é sempre bom e no desporto ajuda bastante a ultrapassar algumas barreiras! 

Regras:

Correr no mínimo 100 dias em 2015 (pelo menos 1 km) a começar já no dia 1 de Janeiro!
As 4 regras são simples:

#1 Não deixar passar 3 dias sem correr.
#2 Correr pelo menos 3 vezes por semana.
#3 Não falhar nenhuma segunda feira.
#4 NUNCA desistir :-)


Bora?? 
 
Podem ver o desafio aqui: 
https://www.facebook.com/events/848821121835126/859315294119042/?ref=notif&notif_t=plan_mall_activity