quinta-feira, 31 de janeiro de 2013

Estou na minha hora de almoço, e de muitas coisas que me passam pela cabeça tenho também as coisas que vou ouvindo no café em jeito de burburinho... Mães que falam dos filhos bebés ou já crescidos. Pais que por muito que tentassem não conseguem esconder o orgulho que têm nos filhos e a dádiva que foi ser pai.
Penso na vida de cada um, nas dificuldades de cada um e em quem não passa qualquer necessidade. Penso no que será melhor e pior e inevitávelmente penso como será o meu futuro. O que me surgirá quais serão as minhas alegrias e as minhas dificuldades...

Inevitavelmente...

segunda-feira, 28 de janeiro de 2013

Weekend


Tive um fim de semana super relaxante e revitalizante na companhia de amigos e namorado e soub-me mesmo muito mas muito bem. 
Fizemos seão de cineminha e... este filme é muito bom!
Recomendo.


sexta-feira, 25 de janeiro de 2013

A sério que é sexta feira?

terça-feira, 22 de janeiro de 2013

 
O mês de Janeiro aborrece-me/enjoa-me!

segunda-feira, 21 de janeiro de 2013

Isto deve ser geral, ao inicio todos motivam, depois parece que se esquecem e agora esta “coisa da crise” é a desculpa de muitos para fugirem às obrigações que lhes compete.
Aumento nem vê-lo. Tudo bem não esperava. Mas há outras coisas igualmente boas de se fazer e que não implica dinheiro. E neste caso não interfere nada no trabalho. 
Estas novas leis e novas actualizações estão a prejudicar todos de uma forma ou outra e acho que as pessoas têm tendência cada vez mais para ficarem depressivas. Falo por mim, já começo a ficar um bocado desmotivada. Não só porque tenho vontade de estudar a área que gosto e não posso porque o meu salário não permite mas também porque as coisas no trabalho têm-se vindo a alterar a nível de motivação.
Se custava muito por exemplo, o meu patrão já que este ano é só coisas más deixar ficar 25 dias úteis de ferias. Mostrava não só que é boa pessoa como que percebe que nos tem que manter bem cá dentro para trabalharmos com gosto. Tendo em conta que não deixamos de ser assíduas não percebo porque desta retirada. 
Também não percebo porquê que o estado tem direito de mexer nas leis dos privados. O meu patrão é que sabe o que há-de ou não dar. Opa sinceramente, cada vez estou mais aborrecida com estas m*****!!!
 
Desabafo. Coisa que em relação a trabalho fazia mesmo pouco ou nada. Ao que cheguei!

segunda-feira, 14 de janeiro de 2013

 
Enquanto não mato curiosidades, deixo aqui um desejo.
Estou desejosa que cheguem os dias quentes.
Neste fim de semana estive a pensar, e achava giro saber mais ou menos quem segue o meu blog… Sei que muitas pessoas gostam de navegar no anonimato mas tenho despertou uma curiosidade enorme (sei que provavelmente momentânea) de saber quem vê/segue  o meu blogue …
 
 
Não me querem deixar uma mensagem para que visite os vossos blogues também? :P :)

sexta-feira, 11 de janeiro de 2013

É oficial, estou sem paciência.

Juro que foi uma semana bem complicada para mim, apeteceu demitir-me muitas vezes, este tipo de trabalho têm me dado volta à cabeça, é muita coisa, muitas obrigações a cumprir e para as quais a minha cabeça já está a ficar cheia, esgotada… farta.
Depois outros factores no trabalho e fora dele me fizeram ter uma semana cheia de coisas menos boas…
Não gosto de passar más energias mas fogo… estou down.

Como disse alguém “as más energias descarrego-as na casa de banho”. É que era mesmo bom que assim fosse.

Não estou a conseguir perceber o meu eu. E isso não me está a ajudar em nada.

Falta-me dinheiro para conseguir cumprir o meu primeiro objectivo deste ano. Falta-me dinheiro para que possa fazer mais coisas e para que não caia na monotonia. Acho que me anda a faltar muita coisa que está a dar comigo em louca!
É comum perder o bom por querer o melhor.

Shakespeare

terça-feira, 8 de janeiro de 2013

Pergunto-me muitas vezes se serei eu que vivo num mundo que não pertence ao mesmo das pessoas à minha volta.
Pergunto-me muitas vezes se terei eu um problema qualquer que me impeça de ver as coisas como muita gente vê.
Serei eu menos que os outros por não partilhar muitas vezes das mesmas vontades, dos mesmos apetites, ou da forma “na boa” que vêm as coisas???
Será que sou eu que sou estranha por me empenhar em coisas que para outras pessoas não tem valor nenhum?
 
Enfim. Desabafo.
Quem muito se ausenta, uma hora deixa de fazer falta.

8 de Janeiro

O nosso dia.
Já somos namorados?
E assim se passou um aninho baby.  
Ainda bem que antes de “sermos namorados” curtimos tudo o que tínhamos para curtir. Fizemos coisas juntos maravilhosas e andamos mesmo ao sabor do vento.
Neste ultimo ano muita coisa mudou e tudo o que foi modificado foi positivo. E hoje, vivemos juntos. E Juntos somos felizes.
Sei que para muitos não é tempo nenhum, mas tudo o que vivo contigo é tão intenso e bom que parece que estou contigo à eternidades!
E agora sim… eu amo-te!

segunda-feira, 7 de janeiro de 2013

Acho que há sinais que as pessoas prestam pouca atenção.

Dedico-te Baby

"Prometo-te!
Não te prometo os grandes gestos utópicos de contos de fadas. Prometo-te os pequenos gestos. Aqueles simples, mas reais e honestos: puxar por ti... quando queres desistir, olhar-te sempre com ternura, ser o teu lenço... se um dia te apetecer chorar, beijar-te ao adormecer e beijar-te ao acordar. Prometo-te tudo o que posso prometer.
O amor não foi feito para aqueles que desistem.
 
Prometo-te tudo o que posso cumprir."
 
João Monge Ferreira
Estou super mal humorada. Estou com aquela sensação que vou ficar constipada e isso deixa-me sem vontade de abrir a boca para dizer uma palavra que seja.
Estou impertinente e não me apetece estar no trabalho. Não me apetece ouvir nada nem ninguém. Só queria a minha casa, a minha cama e aqueles lençóis maravilhosos.
Quando estou assim só penso em m**** e isso não é muito bom. Nada bom!
Sinto-me triste.

sexta-feira, 4 de janeiro de 2013

Ainda só vou no segundo episódio da temporada um e já estou viciada!


Não gosto de acreditar na inveja e que esta pode mover muita coisa.
Detesto ter esta sensação de que alguém próximo nutre alguma inveja e que por isso algumas coisas da minha vida não andam para a frente. 
Tem dias que penso mais nisto que noutros, mas penso.

Outros tempos.

Cada vez me espanta mais a forma de estar e de ser das pessoas. Pessoas, raparigas e mais novinhas. Não querendo dramatizar nem parecer antiquada, acho o cúmulo dos cúmulos as miúdas não olharem a meios para atingir fins.
A mim, que tenho 26 anos e sinto-me nova novíssima, espanta-me como miúdas com menos 3, 4 ou 5 anos que eu se exibam de forma insinuante perante a sociedade, achando-se donas do pedaço.
Esta semana tenho estado de todo no que diz respeito a criticas, mas convínhamos… Já nada tem o gostinho de antigamente. Já nada tem o brilho que tinha. E todo o brilho que existe vem de pessoas mais velhas ou da mesma idade que eu. As raparigas e rapazes das novas gerações não sabem o que é perder, o que é lutar, o que é sofrer.
Tudo o que vem à rede é peixe, tudo o que se mexe é refeição. Atropelam-se, magoam-se sem olhar em volta. Magoam pessoas que nem conhecem. E traem muitas vezes a confiança dos outros e deles próprios sem pensar duas vezes.
 
Consideram todo o mundo amigo, e no fundo não têm é amigos (no verdadeiro sentido da palavra!).
Repito, não querendo parecer antiquada, mas sendo, estas pessoas chocam-me. E enervam-me!

quarta-feira, 2 de janeiro de 2013

E agora que estamos em 2013 quero dizer às pessoas que o melhor que levamos desta vida ainda são as relações e laços que vamos criando ao longo da vida. E que as ilusões e desilusões são mesmo muito importantes no nosso percurso porque sem estas não haveria termo de comparação. Que comparamos pessoas sim, e que isto não é negativo, só as comparamos porque no momento temos o melhor.

Que embora nos esforcemos para não deprimir iremos ter sempre um momento desses porque faz parte. E se faz parte venham eles. A seguir vem sempre uma alegria. Ou um dia positivo, céu azul e boa disposição.

Gostava de deixar aqui uma mensagem para os que conheço e me são especiais, sem vocês nada seria nem teria metade das alegrias, nem esboçaria maior parte dos sorrisos, aos que não conheço quero agradecer o facto de escreverem. Simplesmente escreverem, para que me sinta menos ridícula com as crises existenciais que tenho e que, no fundo todos temos. 

Sejam doces. Sejam vocês. Entreguem-se e dêem o vosso melhor. Ou tentem.